Infecções Podem Desencadear Doenças Cardiovasculares

Os pesquisadores encontram um risco maior de eventos coronarianos durante os 3 meses após uma infecção. A resposta imunológica do corpo, eles sugerem, pode explicar por que as infecções “desencadeiam” ataques cardíacos e derrames.

Estudo de risco de infecções e eventos coronarianos
Dr. Lakshminarayan e seus colegas examinaram 1.312 pessoas que tiveram um evento coronariano, como um ataque cardíaco ou infarto do miocárdio, e as compararam com 727 pessoas que sofreram um acidente vascular cerebral isquêmico.

O estudo incluiu pacientes ambulatoriais e pessoas que foram hospitalizadas para receber tratamento para a infecção.

Os pesquisadores procuraram por infecções que essas pessoas desenvolveram até um a dois anos antes do evento cardiovascular. As infecções mais comumente relatadas foram infecções do trato urinário, pneumonia e infecções respiratórias.

No geral, o estudo constatou que aproximadamente 37 por cento dos participantes com doença cardíaca tinham desenvolvido uma infecção nos 3 meses que antecederam o evento coronariano. Entre as pessoas com acidente vascular cerebral, esse número foi quase 30 por cento.

Nas primeiras 2 semanas após ter uma infecção, o risco de um derrame ou ataque cardíaco foi o mais alto.

Resposta imune pode provocar eventos coronarianos
Embora o estudo tenha sido observacional, os cientistas especulam sobre o mecanismo que pode explicar os resultados.

Durante uma infecção, explica o Dr. Lakshminarayan, o sistema imunológico do corpo produz mais glóbulos brancos para combatê-lo. No entanto, essa resposta imune também faz com que células pequenas do sangue, chamadas plaquetas, sejam mais rígidas.

Em um corpo saudável, o papel das plaquetas é se ligar a um vaso sanguíneo danificado e criar um coágulo sanguíneo. Isso é muito útil para cortes acidentais, por exemplo, mas plaquetas demais ou plaquetas que são muito pegajosas podem aumentar o risco de coágulos sanguíneos.

“A infecção parece ser o gatilho para alterar o equilíbrio no sangue e nos tornar mais propensos à trombose ou formação de coágulos”, diz o Dr. Lakshminarayan. “É um gatilho para os vasos sanguíneos ficarem bloqueados e nos coloca em maior risco de eventos graves, como ataque cardíaco e derrame”.

“Um dos maiores argumentos é que temos que prevenir essas infecções sempre que possível e isso significa vacinas contra a gripe e vacinas contra pneumonia, especialmente para indivíduos mais velhos.”

Em um editorial anexo, Juan Badimon – que não esteve envolvido na pesquisa – explica por que o risco de um evento coronariano pode ter sido maior no grupo hospitalizado. Ele diz que, para essas pessoas, a infecção pode ter sido mais grave.

“E se a infecção for tão grave, podemos supor que uma resposta inflamatória mais forte resultará em maior risco cardiovascular”.



1 Comment

avatar

Gracias por la post, te agregue a favoritos, adios

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrinho de Compras
Seu carrinho está vazio =(
Continuar comprando
0